adorai

Números 10

O Senhor disse a Moisés:

"Faça duas cornetas de prata batida a fim de usá-las para reunir a comunidade e para dar aos acampamentos o sinal para partirem.

Quando as duas cornetas tocarem, a comunidade inteira se reunirá diante de você, à entrada da Tenda do Encontro.

Se apenas uma tocar, os líderes, chefes dos clãs de Israel, se reunirão diante de você.

Quando a corneta der um toque de alerta, as tribos acampadas a leste deverão partir.

Ao som do segundo toque, os acampamentos do lado sul partirão. O toque de alerta será o sinal para partir.

Para reunir a assembléia, faça soar as cornetas, mas não com o mesmo toque.

"Os filhos de Arão, os sacerdotes, tocarão as cornetas. Este é um decreto perpétuo para vocês e para as suas gerações.

Quando em sua terra vocês entrarem em guerra contra um adversário que os esteja oprimindo, toquem as cornetas; e o Senhor, o Deus de vocês se lembrará de vocês e os libertará dos seus inimigos.

Também em seus dias festivos, nas festas fixas e no primeiro dia de cada mês, vocês deverão tocar as cornetas por ocasião dos seus holocaustos e das suas ofertas de comunhão, e elas serão um memorial em favor de vocês perante o seu Deus. Eu sou o Senhor, o Deus de vocês".

No vigésimo dia do segundo mês do segundo ano, a nuvem se levantou de cima do tabernáculo que guarda as tábuas da aliança.

Então os israelitas partiram do deserto do Sinai e viajaram por etapas, até que a nuvem pousou no deserto de Parã.

Assim partiram pela primeira vez, conforme a ordem do Senhor anunciada por Moisés.

Os exércitos do acampamento de Judá partiram primeiro, junto à sua bandeira. Naassom, filho de Aminadabe, estava no comando.

Natanael, filho de Zuar, comandava os exércitos da tribo de Issacar,

e Eliabe, filho de Helom, chefiava os exércitos da tribo de Zebulom.

Quando o tabernáculo era desmontado, os gersonitas e os meraritas o carregavam e partiam.

Os exércitos do acampamento de Rúben partiram em seguida, junto à sua bandeira. Elizur, filho de Sedeur, estava no comando.

Selumiel, filho de Zurisadai, comandava os exércitos da tribo de Simeão,

e Eliasafe, filho de Deuel, chefiava os exércitos da tribo de Gade.

Então os coatitas partiam carregando as coisas sagradas. Antes que eles chegassem, o tabernáculo já deveria estar armado.

Os exércitos do acampamento de Efraim partiram em seguida, junto à sua bandeira. Elisama, filho de Amiúde, estava no comando.

Gamaliel, filho de Pedazur, comandava os exércitos da tribo de Manassés,

e Abidã, filho de Gideoni, os exércitos da tribo de Benjamim.

Finalmente, partiram os exércitos do acampamento de Dã, junto à sua bandeira, como retaguarda para todos os acampamentos. Aieser, filho de Amisadai, estava no comando.

Pagiel, filho de Ocrã, comandava os exércitos da tribo de Aser,

e Aira, filho de Enã, a divisão da tribo de Naftali.

Essa era a ordem que os exércitos israelitas seguiam quando se punham em marcha.

Então Moisés disse a Hobabe, filho do midianita Reuel, sogro de Moisés: "Estamos partindo para o lugar sobre o qual o Senhor disse: ‘Eu o darei a vocês’. Venha conosco e lhe trataremos bem, pois o Senhor prometeu boas coisas para Israel".

Ele respondeu: "Não, não irei; voltarei para a minha terra e para o meu povo".

Moisés, porém, disse: "Por favor, não nos deixe. Você sabe onde devemos acampar no deserto e pode ser o nosso guia.

Se vier conosco, partilharemos com você todas as coisas boas que o Senhor nos der".

Então eles partiram do monte do Senhor e viajaram três dias. A arca da aliança do Senhor foi à frente deles durante aqueles três dias para encontrar um lugar para descansarem.

A nuvem do Senhor estava sobre eles de dia, sempre que partiam de um acampamento.

Sempre que a arca partia, Moisés dizia: "Levanta-te, ó Senhor! Sejam espalhados os teus inimigos e fujam de diante de ti os teus adversários".

Sempre que a arca parava, ele dizia: "Volta, ó Senhor, para os incontáveis milhares de Israel".

<>